Assunto: Av Pedro I fechada até hoje: por que?

27 de Agosto de 2014 / 0 Comentários

Reprodução Internet

A- A A+

Na tentativa de encontrar uma resposta razoável para a manutenção do fechamento da Av. Pedro I, esbarramos em perguntas sem respostas: Como pode um corredor de transito importante como este ficar fechado por tanto tempo sem que ninguém venha a publico apresentar uma justificativa plausível? Se não encontramos na lógica uma resposta, no bom senso nem adianta procurar. É inacreditável e inadmissível que a Av. Pedro I permaneça fechada por quase 2 meses por capricho ou por incompetência de agentes públicos que falharam antes e depois da tragédia.

Fica a sensação de que os homens que dirigem essa cidade, incluindo vereadores, prefeito, promotores de justiça, procuradores, diretores de autarquias e membros do judiciário que se embrulham na burocracia e nos ritos, vivem eu uma outra dimensão. A verdade é que muitos estão aqui, mas com a cabeça em Miami, Escarpas do Lago ou em alguma praia paradisíaca onde seus veleiros encontram-se ancorados. Se não fosse trágico, o episódio seria cômico, tamanho absurdo da omissão. Em qualquer outro lugar do mundo, 5 dias após o desabamento que mostrou a face dos homens públicos de BH e expôs a engenharia de Minas Gerais para o mundo de forma negativa, já estaria aberta e atendendo ao povo.

Aqui, simplesmente mudam o tráfego entupindo uma via que já esta saturada há 30 anos (Avenida Cristiano Machado) e tudo segue como se nada estivesse acontecendo. Cabe a população encontrar meios para se adequar e que se dane o resto... Parece casa de “mãe joana” onde não há ordem e nem regras claras. O caso é de polícia, mas nem ela se deu conta da urgência do assunto. Com efeito, o correto seria liberar a via e depois achar culpados, até por que, se bem conhecemos nosso país e a justiça dos homens de toga, tudo terminará em pizza, ficando o ônus do vexame e da tragédia apenas para a população e os que tiveram perdas diretas como as famílias das vítimas.  

Imagine quantas ambulâncias ficam presas naquela região a caminho do Pronto Socorro Rizoleta Neves? Imagine quanto de combustível e monóxido de carbono é lançado na atmosfera por causa dos engarrafamentos provocados por esse fechamento desnecessário? Imagine quantos compromissos são perdidos gerando estresse e danos materiais à população daquela região que não tem outra alternativa? Enquanto isso as autoridades discutem os sexos dos anjos e a mediocridade impera mais uma vez em Belo Horizonte. Aqui tudo pode acontecer.

 

José Aparecido Ribeiro - Consultor em assuntos urbanos 

Presidente da ONG SOS Mobilidade Urbana

CRA MG 08.0094/D 

 

 

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião de Revista Entrevias. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Revista Entrevias poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.