Ano Novo, Novas Tragédias nas Estradas de MG e as mesmas causas...

15 de Janeiro de 2015 / 0 Comentários
A- A A+

POR José Aparecido Ribeiro*  

 

 

Ano novo, novas tragédias e as mesmas causas, que recebem os mesmos tratamentos de autoridades cada vez mais omissas, irresponsáveis e distantes da realidade do povo. 66% das mortes em acidentes rodoviários ocorridas nos feriados de Natal e Réveillon em rodovias que atravessam Minas Gerais foram provocadas por colisões frontais, o que significa que se as pistas fossem duplicadas, o luto de famílias inteiras dilaceradas pela dor, seria evitado.

A indústria brasileira produz carros cada vez mais potentes, robustos e eficientes em velocidade, equipamentos de segurança e tecnologia, porém nada resiste a uma batida de frente. Motoristas inexperientes, carros potentes em numero cada vez maior e rodovias deficientes, ultrapassadas. Se isso é fato, por que as rodovias continuam as mesmas de 50 anos atrás e a ladainha da PRF e dos políticos não muda? Quando vamos ter rodovias como as de São Paulo, capazes de evitar mortes?

Na maioria dos acidentes ocorridos neste feriado, não constatou-se indícios de imprudência. Em todos, no entanto, há indícios e provas inequívocas de que existem falhas na infra estrutura das rodovias. Bastariam muretas de concreto, guardhail ou afastamento de pistas para evitar as mortes trágicas de inocentes. Aos que insistem em dizer que a causa dos acidentes é a imprudência, convido para um exercício de lógica do pensamento científico, ou o uso do bom senso.

São Paulo tem uma frota de 22 milhões de veículos, e não houve mortes nas Rodovias Federais que atravessam aquele Estado. Será que o motorista Paulistano é mais previdente do que o Mineiro? Ou o problema esta na qualidade dos políticos daqui que são inferiores as do de lá? Os imprudentes sempre existiram, existem e existirão. Com efeito, contra eles só existe um remédio: Rodovia seguras, capazes de evitar colisões frontais. O resto é conversa fiada ou papo inútil.

 

José Aparecido Ribeiro

Consultor em Assuntos Urbanos e Trânsito/Presidente da ONG SOS Rodovias Federais de MG

 

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião de Revista Entrevias. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Revista Entrevias poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.